domingo, 21 de dezembro de 2008

Honras Militares aos restos mortais de 2 militares tombados em combate.

video

A freguesia de São Miguel de Outeiro, em Tondela, viu, ontem, regressar à terra Natal dois militares que morreram em combate em Moçambique, em 1966. Mais de 40 anos depois, o Regimento de Infantaria 14 de Viseu presta honras militares aos dois combatentes antes do cortejo e cerimónias fúnebres na terra NatalO 1.º Cabo Aníbal Rodrigues dos Santos, natural da Freguesia de São Miguel do Outeiro, no concelho de Tondela, nasceu 1942 e foi incorporado no Exército , em 1963, no Batalhão de Caçadores nº 6, em Castelo Branco. Posteriormente, foi transferido para a Arma de Engenharia e colocado no Regimento de Engenharia nº 1, na Pontinha. Tirou a especialidade de operador de cilindro na Escola Prática de Engenharia em Tancos.Foi nomeado para servir em Moçambique na Companhia de Engenharia 651, mobilizada pelo Regimento de Engenharia nº 1. Embarcou em Lisboa em 15 de Julho de 1964. Morreu em combate no Norte de Moçambique em Maio de 1966, tendo sido sepultado no cemitério de Mueda.O Soldado Ernesto Correia Dias, natural da Freguesia de São Miguel do Outeiro, no concelho de Tondela, nasceu em 1943 e foi incorporado no Exército, em 1964, no Regimento de Infantaria nº 5 da Arma de Infantaria, tendo tirado a especialidade de atirador.Foi nomeado para servir em Moçambique na Companhia de Caçadores 696, mobilizada pelo Regimento de Infantaria nº 15, em Tomar.Embarcou em Lisboa em 1 de Abril de 1964. Morreu em combate no Norte de Moçambique em Março de 1966, tendo sido sepultado no cemitério de Nova Freixo.Os restos mortais dos dois militares regressaram, neste fim-de-semana, à sua terra Natal e, antes foram velados na capela do Regimento de Infantaria (RI) 14 de Viseu, onde tiveram direito a guarda de honra militar. Ontem, o RI14 organizou cerimónias militares com a presença das entidades civis máximas de Viseu e com algumas entidades militares, assim como a associação de âmbito regional e nacional de antigos combatentes.Uma cerimónia presidida pelo comandante do TI14, coronel Rui Moura, na companhia do comandante do RI15, de Tomar, coronel César Fonseca, o 2.º Comandante do RE1, o comandante da Companhia 651, coronel na reforma Maia e Costa e o comandante do Grupo de Combate do Grupo de Caçadores 696, José Pavão, também cônsul honorário da Guiné Bissau, assim como alguns militares das duas companhias.José Pavão na cerimónia militar tomou a palavra e, numa homenagem à mãe, ali presente, do antigo militar que comandou, Ernesto Dias, lembrou a hora da morte e as últimas palavras que o militar dirigiu à sua progenitora, na altura em que um projéctil atravessou o tórax do soldado e o deixou prostrado no chão.Alguns momentos de maior emoção que deram início ao cortejo fúnebre para São Miguel de Outeiro, não sem antes o comandante do RI 14 e o comandante do RI15 terem colocado a boina do Exército Português e a condecoração, a título póstumo, com a Medalha Comemorativa das Campanhas das Forças Armadas Portuguesas.Também os autarcas de Viseu e Tondela, Fernando Ruas e Carlos Marta, respectivamente, colocaram uma coroa de flores, nas urnas dos antigos combatentes.

A Delegação de Viseu, da Associação de Comandos, esteve presente, em representação da Direcção Nacional, através do seu respectivo Presidente e alguns Comandos da sua área de acção, participando em todas as cerimónias e ostentando o Guião da citada Delegação.

Sem comentários: